Páginas

Assista nossos Programas

domingo, 12 de setembro de 2010

Alienação parental - A separação e os filhos

Maria Irene Maluf – Especialista em Psicopedagogia e em Educação Especial, Coordenadora do Curso de Especialização em Neuroaprendizagem

Hoje, diferentemente de há vinte anos atrás, as separações de casais e a formação de novas famílias tornaram-se muito comuns. Apesar de que na grande maioria dos casos, exista um sentimento de tristeza, de perda e dor em torno do período em que ocorre o divórcio, as pessoas envolvidas se recuperam mais facilmente também porque existe na sociedade atual menos tabus em relação ao fato e menos resistencia para aceitar as novas uniões.
O problema entretanto de quem tem filhos, tanto do primeiro como do segundo casamento,é que as crianças são,ao menos aparentemente, as grandes vítimas da nova situação.

Conheço crianças que verbalizam o alívio que foi ver seus pais se separando, devido ao medo que sentiam dos gritos, brigas e ameaças. Nem sempre entretanto isso acontece! Há aquelas que arrastam por meses a tristeza e a saudade do tempo em que todos viviam juntos. Mas nos dois casos, a verdade é que toda a família passa por um período de luto devido a grande ruptura que uma separação causa. Cabe aos pais e familiares mais experientes, minimizar os prejuízos emocionais, que são inevitáveis, mas que podem ser bem administradas por quem é adulto e quer preservar seus filhos de sofrerem desgastes enormes e sem necessidade.

Uma providência importante é o casal tratar de explicar ás crianças, a decisão tomada, em uma linguagem amorosa, sem rancores, de uma forma serena, clara.É importante fazer isso em mais de uma ocasião, no caso de crianças mais novas ,certificando-se assim que entenderam a situação e assimilaram a separação dos pais como algo que já aconteceu e que não dependeu dela. Procurar deixar claro que além de não haverem culpados e inocentes, os filhos não perderão o amor e a atenção deles.

Mas essa conversa perderá o efeito se os acontecimentos anteriores à separação contradizerem a mensagem que se quer passar. Assim, embora difícil em alguns casos, é importante fazer o maior esforço para não discutir , gritar ou perder a educação na frente das crianças. Embora triste esse é o momento exato para ensinar o que é respeito e dignidade pessoal aos filhos!

Questões sobre divisão de bens, pensões, etc, só podem ser debatidas quando as crianças não estiverem por perto, pois geram ansiedade e parecem mesquinharia para quem não tem idade de compreender a abrangência dos fatos.

Algumas medidas para proteger as crianças nesse momento podem e devem partir dos próprios pais, dentro e fora de casa:

1- No caso de intromissão de parentes, por exemplo, que quase sempre "defendem" um lado ou o outro, mostre diante de seus filhos, serenidade na sua decisão e sem transparecer ódios ou rancores, caso existam, pois as crianças ficam muito divididas internamente, angustiadas com aquilo que ouvem.

2-Caso os vizinhos, amigos ou parentes venham perguntar, ensine seu filho a responder que esse é um assunto dos pais dele, que sendo adultos sabem o que fazem.

3-Por mais que você esteja sofrendo, lembre-se de que a criança não pode ser sua confidente, pois não tem estrutura emocional para suportar também a sua dor, além daquela que ela mesma sofre.

4-Falar mal do conjugue? nem pensar em fazer isso na frente das crianças. Aliás, na frente de ninguém, com exceção de um terapeuta, é claro. Uma separação não tem culpados, tem responsáveis. E as razões que unem um casal muitas vezes acabam causando a separação: a admiração pelo grande executivo acaba por se tornar motivo para uma grande solidão, por exemplo.A beleza e sedução de um artista desapegado da vida material, pode ser difícil de suportar no dia a dia e acabar representando motivo de ciúme, de desgaste financeiro ....Importante é tentar resgatar na memória, os motivos para a admiração e aproximação passadas e procurar ver nessa pessoa, um dia tão amada, um amigo ou amiga e não apenas o conjugue egoísta , sonhador, aproveitador, etc. Melhor para os filhos e para seus pais e familiares procurarem ver as qualidades uns dos outros, antes de apontarem seus defeitos e fazerem deles um escudo.
Um outro momento, depois que a vida retomou a rotina, é a constituição de um novo relacionamento. Acredito que apresentar o novo namorado/namorada aos filhos, deva ser um passo muito bem refletido, a ser dado depois de certo tempo de convivência e conhecimento do outro. Há pessoas que embora adultas, por exemplo, não conseguem suportar a rejeição inicial que esse tipo de aproximação provoca. As crianças pequenas ficam confusas com medo de perder a mãe ou o pai para terceiros e além disso, se ainda tem esperanças de ver os pais juntos(o que é freqüente),ficam muito enciumadas. Isso só vai adiar a aceitação do novo conjugue e não trará qualquer ganho para a criança.E sobre esse assunto , seguem dois lembretes: sendo apenas namorado(a), ele ou ela não podem pode interferir na educação do pequeno mais do que qualquer amigo ou amiga dos pais!Assim também não existe novo pai ou mãe, a não ser que a criança seja pequena e surja uma afinidade muito grande entre eles. O que existe é a realidade: o marido da mãe ou a esposa do pai, que devem ser respeitados como todos os adultos devem ser pelas crianças.
A guarda compartilhada se bem organizada e aceita é uma boa saída, mas tudo vai depender do equilíbrio emocional dos pais e do amor aos seus filhos (e não à si próprios), que os adultos demonstrarem após a separação.Ter convívio com os dois biológicos, assim como com o resto da família de ambos, deve ser algo liberado para a criançada.Afinal, foram os pais que se separaram!
Mas o tempo, não resguarda ninguém das novidades: em muitos casos, o filho fica com a mãe após a separação, e quando cresce, quer morar com o pai. Isso pode ser doloroso mas é preciso serenidade e bom senso para compreender e aceitar a mudança que deve ser encarada desde cedo como uma possibilidade real de escolha do filho e não como um abandono. Se o casal mantiver boas relações sociais entre si, essa situação não será tão dolorosa para ninguém! A criança normalmente quer sentir como é vivenciar novas situações e essa é uma delas! A vida emocional da criança e do adolescente cujos pais encaram civilizadamente a separação é muito mais tranqüila, seu desenvolvimento ocorre da maneira harmoniosa e a escolaridade não passa a ser algo custoso ou mesmo motivo de chantagem para obter a atenção dos pais.

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS

No dia 11 de setembro, próximo sábado, às 14h30, horário de Brasília, serão realizadas as provas da 2ª Fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas 2010, em mais de 8.000 mil Centros de Aplicação distribuídos em mais de 5.300 municípios brasileiros. Os alunos são divididos em três níveis de participação, quais sejam: nível 1: estudantes de 5ª e 6ª séries (6º e 7º anos) do Ensino Fundamental; nível 2: estudantes de 7ª e 8ª séries (8º e 9º anos) do Ensino Fundamental; e nível 3: estudantes do Ensino Médio.
Participarão da 2ª fase 860 mil alunos selecionados (5% com melhor classificação) dentre os 19.650 milhões – cerca de 10% da população brasileira - que participaram da 1ª Fase, cujas provas aconteceram no dia 8 de junho, envolvendo em torno de 44 mil escolas de todo o país. A divulgação dos resultados da 1a Fase, dentro do calendário previsto, só foi possível graças ao trabalho voluntário de milhares de professores das escolas participantes, que corrigiram mais de 19 milhões de provas em apenas 14 dias.
Da 2ª Fase sairão os alunos, professores, escolas e secretarias de educação premiadas, que serão conhecidos no dia 26 de novembro de 2010. O objetivo principal da OBMEP é estimular o estudo da Matemática por meio da resolução de problemas motivantes, que despertem o interesse e a curiosidade de professores e estudantes.
2ª fase
As provas serão aplicadas em centros de aplicação indicados pela Coordenação da OBMEP, sendo que os locais das provas também são divulgados no site da OBMEP (www.obmep.org.br). Nesta fase, a prova tem duração de três horas para os três níveis. Serão seis questões dissertativas, e os alunos devem explicar e exibir os cálculos, bem como o raciocínio empregado.

As provas serão corrigidas, em suas regiões de origem, por comitês escolhidos pelas coordenações regionais da OBMEP. Estes comitês são compostos por professores de matemática, em sua maioria universitários e muitos com experiência na correção de provas de Olimpíadas. Após ser traçada uma nota de corte, parte das provas é recorrigida em uma correção nacional, unificada, de onde são estabelecidos os premiados.

Premiação
A lista dos premiados será divulgada em 26 de novembro de 2010, sendo que os critérios para as premiações são detalhados no Regulamento da OBMEP, disponível no site http://www.obmep.org.br/.
Serão premiados 500 alunos com medalhas de ouro; 900 com medalhas de prata;e 1.800 com medalhas de bronze. Além disso, serão concedidos Certificados de Menção Honrosa a até 30.000 alunos. Também serão premiados 127 professores dentre os que obtiverem o maior número de pontos, conforme o regulamento. Os prêmios serão uma placa de homenagem e uma coleção de livros escolhida pela Direção Acadêmica da OBMEP.
Serão premiadas, ainda, 100 (cem) escolas. Serão concedidos um kit de material esportivo, e livros/vídeos para a composição de uma biblioteca básica em Matemática e Ciências, às escolas municipais ou estaduais, selecionadas a partir dos seguintes critérios: 81 escolas municipais ou estaduais (três para cada UF) que alcançarem o maior número de pontos em suas respectivas Ufs; 19 escolas que obtiverem a maior pontuação nacional dentre as municipais e estaduais, independentemente da UF. Vale lembrar que o prêmio não será concedido caso a escola premiada na OBMEP 2010 tenha sido premiada em alguma outra edição a partir da OBMEP 2006. Neste caso, ela receberá um troféu alusivo à sua premiação.
Serão concedidos, em cada UF, troféus às duas secretarias municipais que obtiverem maior pontuação em sua respectiva UF, totalizando 52 secretarias municipais. Finalizando a premiação da OBMEP 2010, serão concedidos troféus às cinco secretarias estaduais de educação (1 por cada região geográfica) que obtiverem maior pontuação em sua região geográfica (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste). A premiação das Secretarias de Educação está relacionada à pontuação das suas respectivas escolas municipais e estaduais inscritas na 2ª Fase da OBMEP.

Sobre a OBMEP
A OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP) é um projeto que vem criando um ambiente estimulante para o estudo da Matemática entre alunos e professores de todo o país.

Voltada para a escola pública, seus estudantes e professores, a OBMEP tem o compromisso de afirmar a excelência como valor maior no ensino público. Suas atividades vêm mostrando a importância da Matemática para o futuro dos jovens e para o desenvolvimento do Brasil.

Com sua primeira edição em 2005, a OBMEP vem crescendo a cada ano – confira em http://www.obmep.org.br/obmep_em_numeros.html. Em 2009, mais de 19 milhões de alunos se inscreveram na competição e cerca de 99% dos municípios brasileiros estiveram representados. Os sucessivos recordes de participação fazem da OBMEP a maior Olimpíada de Matemática do mundo.
Fases da OBMEP
1ª Fase: Aplicação da prova objetiva, de 20 questões, em cada escola inscrita. A correção é feita pelos professores das próprias escolas, a partir das instruções e gabaritos elaborados pela OBMEP.

2ª Fase: Aplicação da prova discursiva (com 6 a 8 questões) em centros de aplicação indicados pela OBMEP. Participam dessa Fase apenas 5% dos alunos, em cada Nível, com melhor pontuação na 1ª Fase.

Níveis de participação
Podem participar da OBMEP todos os alunos inscritos em escolas públicas brasileiras (municipais, estaduais e federais) podem participar. Mas a inscrição não é individual e sim feita pelas escolas.

As escolas devem indicar, no momento da inscrição, quantos alunos irão participar da 1ª Fase da OBMEP, de acordo com os níveis de participação abaixo:

Nível 1 – estudantes de 5ª e 6ª séries (6º e 7º anos) do Ensino Fundamental
Nível 2 – estudantes de 7ª e 8ª séries (8º e 9º anos) do Ensino Fundamental
Nível 3 – estudantes do Ensino Médio

Os alunos da educação de jovens e adultos (EJA) dos anos finais do Ensino Fundamental, 5ª e 6ª (6º e 7º ano) e 7ª e 8ª séries (8º e 9º anos), devem ser inscritos, respectivamente, para as provas dos níveis 1 e 2. Os de Ensino Médio, para a prova de Nível 3.

Realizações
Dentre as realizações da OBMEP destacam-se:
· a produção e distribuição de material didático de qualidade, também disponível neste site;
· o Estágio dos Professores Premiados, um momento de reconhecimento à competência e dedicação desses profissionais em um ambiente de estudo estimulante e enriquecedor. Realizada nas edições 2005-06-07-08 da OBMEP, a atividade passa por uma reformulação e um novo modelo deverá ser implementado nos próximos anos;

- o Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), para os medalhistas da OBMEP estudarem Matemática por 1 ano, com bolsa de estudos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq);

· o Programa de Iniciação Científica – Mestrado (PICME), para medalhistas da OBMEP que estejam cursando graduação com bolsas do CNPq (IC) e CAPES (Mestrado);

· a Preparação Especial para Competições Internacionais (PECI). Direcionada a aproximadamente 30 medalhistas de ouro selecionados pela excepcionalidade de seus talentos para a matemática, esta atividade visa prepará-los para participação de competições internacionais na área;

· a mobilização de Coordenadores Regionais para a realização de atividades como seminários com professores, cerimônias de premiação e encontros com diretores de escolas;

· os encontros dos Medalhistas de Ouro da OBMEP, uma semana com muita Matemática e diversão, e uma ótima oportunidade para fazer amigos que também gostam de Matemática.



Como saber se há escolas e alunos de sua cidade participantes deste segunda fase da OBMEP 2010?
Clicando no banner principal do site da OBMEP (http://www.obmep.org.br/mapa_2afase_content.html), você vê um mapa. Aí é só clicar na UF e no município desejados para ver a lista das escolas. Em cada escola que clicar, você poderá ver onde os alunos classificados farão a prova neste sábado (11/09).

Informações sobre a OBMEP podem ser obtidas pelo site http://www.obmep.org.br/  ou pelo telefone (21) 2529-5084 (OBMEP - Central).

CONEXÃO MATA ATLÂNTICA REALIZA DIVERSOS BATE PAPOS VIRTUAIS EM SETEMBRO

Atividades gratuitas e abertas ao público são promovidas pela SOS Mata Atlântica em sua rede social


Para estimular o intercâmbio de conhecimentos, a Fundação SOS Mata Atlântica vem realizando eventos virtuais sobre os mais diversos temas, desde que lançou a Conexão Mata Atlântica, sua rede de relacionamentos, em maio deste ano. A programação de setembro vai abordar temas como a Conservação Marinha, o premiado programa “Um Pé de Que” e o Dia Mundial sem Carro.

A primeira entrevista será amanhã (09/09), às 11h, com o biólogo Fabio Motta, coordenador do Programa Costa Atlântica da Fundação SOS Mata Atlântica e que já participou de vários projetos de pesquisa e conservação marinha realizados na costa brasileira e Guilherme Dutra, diretor do Programa Marinho da Conservação Internacional do Brasil (CI-Brasil) e já atuou como coordenador de diversas ações de conservação e manejo de Áreas Marinhas Protegidas especialmente na Região dos Abrolhos, Bahia. Os convidados irão abordar a conservação dos ambientes marinhos e costeiros, associados ao Bioma Mata Atlântica, e as iniciativas das duas organizações nesta área.

No dia 16 de setembro, às 15h, será a vez do sócio-fundador da Pindorama Filmes, Estevão Ciavatta, diretor, roteirista, editor, fotógrafo de cinema e TV e a apresentadora, atriz e comediante Regina Casé falarem sobre os 10 anos do programa Um Pé de Quê, que retrata as diversas espécies de árvores brasileiras, dirigido por Estevão e apresentado por Regina.

Já no dia 22 de setembro, às 15h, o tema será o Dia Mundial Sem Carro, com a presença do coordenador de Mobilização da Fundação SOS Mata Atlântica Bellô Monteiro e Rex, biker de plantão que contará seu dia-a-dia sem carro em uma grande capital como São Paulo.

Como participar?
Todos os eventos são gratuitos e para participar basta se cadastrar na comunidade Conexão Mata Atlântica (www.conexaososma.org.br) e confirmar a presença (virtual) utilizando o RSVP presente na página do evento. No dia e horário do bate-papo, acesse a página AO VIVO para conferir a transmissão simultânea da conversa. Quem quiser também poderá ajudar nas entrevistas, enviando as perguntas antecipadamente por texto ou por vídeo, na comunidade ou participando do chat durante o evento.

Camerata Cantareira

No próximo dia 14, o grupo formado por instrumentistas de cordas do Curso Superior de Música da Faculdade Cantareira, sob regência do Maestro Sergio Chnee se apresentam no colégio União Máxima de Educação às 15h.



O projeto envolve a execução do repertório consagrado da música de concerto, a divulgação da música brasileira e obras especialmente escritas para o grupo, estimulando a composição contemporânea para esta formação. Em pleno desenvolvimento, a Camerata Cantareira já se apresentou no Auditório da Secretaria de Estado da Cultura, temporada USP de concertos, Teatro do Jardim São Paulo e III Festival Música das Esferas (Festival Internacional de Música de Bragança Paulista). Um dos principais objetivos da apresentação é oferecer à comunidade um patrimônio cultural: a boa música.

Mutirão de Papanicolaou na zona norte

Para fazer a coleta, basta apresentar o Cartão SUS ou um documento de identificação; o exame é gratuito Até o dia 25 de setembro, algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) das regiões de Casa Verde, Cachoeirinha, Brasilândia, Freguesia do Ó, Pirituba, Perus, Santana, Jaçanã, Vila Maria e Vila Guilherme realizarão, todos os sábados, coleta de Papanicolaou. O exame preventivo é gratuito e deve ser realizado por toda mulher que tem ou já teve relação sexual, especialmente aquelas na faixa etária dos 25 aos 59 anos.

É um exame simples, rápido e, para realizá-lo, basta comparecer a uma das UBS abaixo relacionadas, entre 8 e 17 horas, com o Cartão SUS ou um documento de identificação.

O câncer de colo uterino é atualmente o segundo câncer mais comum entre as mulheres, sendo responsável por 230 mil mortes ao ano, em todo o mundo. Portanto, prevenção é fundamental para combater a doença, e realizar o exame é a melhor maneira de identificá-la em seu início, quando pode ser tratada com alta porcentagem de cura.

Veja as unidades que participam do mutirão na Freguesia/ Brasilândia:
4 de setembro

UBS Vila Progresso
Rua Antônio Genelle, 30, Jd. Monte Alegre

11 de setembro

UBS Dr Augusto Leopoldo Ayrosa Galvão
Rua Joaquina Maria dos Santos, 198, Vila Rica

Ambulatório de Especialidades Freguesia
Rua Bonifácio Cubas, 304, Freguesia do Ó

UBS/PSF Cruz das Almas
Rua Feliciano Domingos, 90

UBS/PSF Jardim Vista Alegre
Rua Ibiraiaras, 21, Jd. Vista Alegre

18 de setembro

UBS/AMA Vila Palmeiras
Rua Francisco Lotufo, 24


UBS/PSF Vila Ramos
Rua Vicente Jorge, 80, Freguesia do Ó

UBS Jardim Guanabara
Av Min Petrônio Portela, 663

UBS/AMA Jardim Paulistano
Rua Encruzilhada do Sul, 220

25 de setembro

UBS/PSF Jardim Icaraí
Rua Almir Dehar, 201, Pq. Belém

UBS/PSF Silmarya Rejane M.Souza (Jd. Carombé)
Rua Euvaldo Augusto Freire, 20

UBS/AMA Jardim Ladeira Rosa
Rua José da Costa Gavião, 150, Parque Tietê

UBS/PSF Vila Teresinha
Rua Domingos Francisco Medeiros, 70

Para saber onde haverá mutirão nas demais Unidades Básicas da Zona Norte acesse: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=21279